PRÁTICA DA AUTOMEDICAÇÃO ENTRE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DE UM SERVIÇO DE PRONTO ATENDIMENTO: AUTOMEDICAÇÃO ENTRE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DE UM SERVIÇO DE PRONTO ATENDIMENTO

Code: 240316185
Downloads
2
Views
87
Compartilhe
Título

PRÁTICA DA AUTOMEDICAÇÃO ENTRE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DE UM SERVIÇO DE PRONTO ATENDIMENTO: AUTOMEDICAÇÃO ENTRE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DE UM SERVIÇO DE PRONTO ATENDIMENTO

Autores(as):
  • Maria Salabá Pereira Belém

  • Iracema Da Silva Nogueira

  • Elielza Guerreiro Menezes

  • Camila Lemos Guimarães

  • Adriany Da Rocha Pimentão

  • Eidie De Souza Queiroz

  • Debora Ramos Soares

  • Gabriela Pinheiro De Andrade

  • Camilly Campos Vasconcelos

  • Jesse David Nascimento Da Costa

DOI
  • DOI
  • 10.37885/240316185
    Publicado em

    22/05/2024

    Páginas

    39-56

    Capítulo

    4

    Resumo

    Objetivo: Analisar a prática da automedicação entre profissionais de enfermagem de um Serviço de Pronto Atendimento. Método: Trata-se de estudo descritivo, exploratório com abordagem quantitativa. Realizado em Serviço de Pronto Atendimento em Manaus. Realizado com 8 enfermeiros, 34 técnicos e 3 auxiliares de enfermagem, totalizando 45 profissionais no período de outubro e 2013 a fevereiro de 2014. Resultados: 48,8% dos participantes caracterizaram-se como adultos jovens na faixa etária entre 29-39 anos de idade, predominando o sexo feminino, 42,2% eram casadas, representado por 75,5% de auxiliares, 6,6% de técnicos de enfermagem e 17,7% eram enfermeiros, 45% dos participantes trabalhavam no plantão diurno, seguido de 44% de plantonistas noturnos, destaca-se alta prevalência da automedicação entre esses profissionais, haja vista a facilidade de aquisição no próprio local de trabalho. Em relação ao conhecimento sobre a temática, muito embora a maioria tenha emitido respostas satisfatórias e condizentes com a literatura, puderam-se constatar lacunas de conhecimento. Quanto aos medicamentos mais consumidos destacou-se o uso de analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios para dor, febre e doenças do trato respiratório, que foram os problemas mais prevalentes. Conclusão: Os achados permitiram conhecer a magnitude do problema, e a partir daí subsidiar estratégias de Educação em Saúde, visando sensibilizar e conscientizar esses profissionais, através da implementação de ações educativas, no sentido de minimizar essa prática que se configura como um grave problema de saúde pública, trazendo sérias consequências à saúde das pessoas que aderem a essa prática.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Enfermagem, Automedicação, Uso de medicamentos

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar